fbpx

PINHEL: Protocolo assistência médica em oftalmologia

 

 

Foi aprovado pela Câmara Municipal de Pinhel um protocolo com a Fundação Álvaro Carvalho, para que os utentes do concelho de Pinhel possam ter assistência médica com qualidade na especialidade de oftalmologia, não foi indicada a data da implementação do protocolo.

 

 

O “Executivo da Câmara Municipal de Pinhel aprovou na sua última reunião as condições de acesso ao protocolo estabelecido entre a Fundação Álvaro Carvalho e a autarquia tendo em vista a assistência médica a doentes do interior do país com doenças crónicas na área da oftalmologia, como é o caso das cataratas”, refere o Município no nota.

 

 

Estão assim reunidas as “condições para que o Protocolo possa começar a produzir efeitos, ficando salvaguardado que o acordo tem por base princípios de prioridade clínica, mas sobretudo social, ou seja, visa beneficiar munícipes residentes no concelho de Pinhel em situação de insuficiência económica”.

 

 

Com uma “população bastante envelhecida e face à inexistência de resposta pública na área da oftalmologia”, o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, entende que “este protocolo, suportado pela Fundação e pelo Município em partes iguais, permitirá que pessoas com mais dificuldades financeiras possam ter acesso a uma cirurgia às cataratas, problema que afeta sobretudo pessoas idosas”.

 

A autarquia não indica qual a data em que os utentes podem usufruir deste protocolo a celebrar.

 

De referir que para beneficiar deste protocolo, os utentes deverão ser referenciados pelo seu médico de família, instruindo-se posteriormente o processo tendo em vista a verificação dos pré-requisitos definidos no âmbito do protocolo.

 

A Fundação Álvaro Carvalho foi fundada em 2014. Recebeu o nome de Álvaro Carvalho, médico que desenvolveu a sua atividade profissional nos Hospitais Civis de Lisboa, no Hospital Distrital de Cascais, e no Hospital Garcia de Orta, onde desempenhou o seu trabalho como clínico, gestor e professor convidado da Faculdade de Medicina de Lisboa.

 

FOTO(s): Fundação Álvaro Carvalho