fbpx

Alvaro Amaro manifestou o seu descontentamento relativamente ao aumento do IVA sobre os fertilizantes não orgânicos, “considero absurdo o aumento do IVA dos fertilizantes não-orgânicos de 6% para 13%, que o PAN defende para promover a produção biológica. Mais absurdo ainda, é que o Governo lhe queira dar respaldo”.

“Uma vez mais, os principais lesados por estas medidas serão pequenos agricultores. Agricultores que acumulam não apenas o esforço da crise, mas também os encargos da produção independente, que não gera as mais-valias das economias de escala. A isto acresce que, com o aumento de impostos proposto, será cada vez mais atractivo comprar fertilizantes a Espanha, onde as taxas não excedem os 10%” refere na nota.

Álvaro Amaro, ex-presidente da Câmara da Guarda e de Gouveia, o “incentivo à alteração das práticas agrícolas não deveria resultar na penalização da adubação, indispensável na agricultura”.

“Deveríamos, porém, dar um forte incentivo a práticas ambientalmente mais interessantes. Ou seja, suprimir o IVA dos adubos e fertilizantes orgânicos”, refere o agora Eurodeputado.

“Paralelamente, deveríamos promover a formação especificamente destinada aos agricultores. É igualmente importante complementar esta formação com a promoção da agricultura de precisão e da análise dos solos”, refere o agora Deputado Europeu.

Álvaro Amaro, refere que “não podemos resolver problemas complexos com soluções simplistas. Perde a produção agrícola nacional e perdemos todos”.