fbpx

ORÇAMENTO GUARDA: PS (2 votos contra) e PSD (4 votos a favor e 1 abstenção)

A Câmara da Guarda aprovou por maioria o orçamento municipal para 2021, no montante global de 51,1 milhões de euros apesar do voto contra dos vereadores socialistas e da abstenção do presidente da Concelhia do PSD também vereador no Executivo Municipal.

Um orçamento que vai permitir enfrentar a pandemia causada pela covid-19 “de forma musculada”, segundo Carlos Chaves Monteiro.

O Presidente da Câmara eleito pelo PSD disse na apresentação final do documento, na reunião ordinaria do executivo, em 26 de novembro, na discussão do ponto 2 da ordem do dia, que o orçamento para o próximo ano tem como prioridades apoiar quem trabalha com os doentes (como as instituições particulares de solidariedade social), ajudar as famílias economicamente mais atingidas pela pandemia e apoiar as empresas e atrair mais investimento para o concelho.

“Fruto do equilíbrio financeiro conseguido nos últimos anos, a Câmara [Municipal da Guarda] pode enfrentar os efeitos da covid de forma musculada”, afirmou Carlos Chaves Monteiro.

O autarca adiantou que o orçamento prevê “mais de 4,1 milhões de euros” para apoiar as medidas sanitárias de prevenção e combate à pandemia, para combater os efeitos sociais e para ajudar as empresas locais a ultrapassarem a crise económica.

“Fruto do trabalho de equilíbrio financeiro dos últimos anos, ao qual estive diretamente ligado, a Câmara da Guarda pode hoje responder de forma musculada à crise sanitária, social e económica que a pandemia da covid-19 colocou ao concelho e à cidade”, referiu.

O orçamento camarário para 2021 tem uma redução ligeira relativamente ao do ano 2020 (51,8 milhões de euros), inclui uma verba de 475 mil euros de apoios para a criação de empregos e 450 mil euros de incentivos ao investimento.

Contempla, ainda, entre outros valores, o montante de 1,3 milhões de euros para a segunda fase de ampliação da Plataforma Logística, 400 mil euros para a requalificação do Mercado de São Miguel e 150 mil euros para a intervenção a realizar no espaço da feira quinzenal ao ar livre.

O orçamento foi aprovado por maioria com os votos contra dos dois vereadores do PS (Cristina Correia e Manuel Simões) e com a abstenção do vereador social-democrata sem pelouros, e Presidente da Concelhia da Guarda Sérgio Costa.

%d bloggers like this: