As notícias da Guarda mais perto de Si

ALVARO AMARO: Constituído arguido e levantada a imunidade parlamentar

 

O Parlamento Europeu levantou esta segunda-feira a imunidade parlamentar do eurodeputado do PSD Álvaro Amaro. Segundo o Jornal Económico o “ex-autarca da Guarda deverá responder pela alegada prática de crimes de prevaricação, participação económica, peculato e fraude na obtenção de subsídio ou subvenção”.

 

Álvaro Amaro vai responder em tribunal enquanto arguido, em causa está um despacho de acusação resultante de uma investigação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra, onde o eurodeputado social-democrata é acusado de eventual benefício da Câmara Municipal da Guarda a uma companhia de teatro, em fevereiro de 2014, onde à data exercia funções de presidente do município.

 

A abertura da investigação teve origem numa “denúncia anónima que detalhou todos os passos que os suspeitos realizaram para a concretização” dos atos de que são suspeitos.

 

 

Recorde-se que Álvaro Amaro, foi presidente da Câmara da Guarda até às últimas eleições europeias, realizadas em maio de 2019, é suspeito de ter beneficiado a cooperativa e grupo de teatro ‘Aquilo’ na organização da festa de carnaval ‘Grande Folia’, de 2014. Segundo o Jornal Económico, “o Ministério Público suspeita que a verba de 40 mil euros (provenientes de fundos comunitários) pagos ao grupo de teatro terá revertido, pelo menos em parte, para a autarquia”.

 

“O financiamento do evento terá sido autorizado quando o ex-autarca chegou à Câmara em 2013, mas só foi pago pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Centro após tomar posse. De acordo com o despacho de acusação, a cooperativa e grupo de teatro ‘Aquilo’ terá lucrado entre 7 a 8 mil euros”.

 

No âmbito da investigação, foram ainda indiciados o  atual Presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro e o antigo vereador da Cultura Vítor Amaral, bem como a diretora da cooperativa teatral e outros quadros superiores funcionários da câmara municipal da Guarda. Foram ouvidos enquanto testemunhas  vários trabalhadores da autarquia do departamento da Cultura e Financeiro.

 

O levantamento da imunidade parlamentar de Álvaro Amaro foi pedido pelo Tribunal Judicial da Comarca da Guarda, quatro dias após as eleições europeias. Questionado, na altura, sobre o caso, disse ser “absolutamente compatível” desempenhar as funções de eurodeputado e colaborar com a Justiça.

 

O pedido de  “levantamento de imunidade parlamentar de Álvaro Amaro. Além do caso em questão, o eurodeputado é ainda suspeito de estar envolvido em outros casos, como o ‘Rota Final’ e outros crimes envolvendo (PPP)”, refere o Jornal Económico.

 

De referir, que nenhum destes suspeitos foi condenado por qualquer crime, tendo apenas sido constituídos arguidos.

 

 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twiter). G-WH913LSLRB 86d4e63d557e44029786b77c5bab0cb3