As notícias da Guarda mais perto de Si 86d4e63d557e44029786b77c5bab0cb3

Distrito da Guarda com 3 847 desempregados (+1,09%)

 


O desemprego registado no Distrito da Guarda aumentou 1,09%, em julho face a junho de 2021, apesar do efeito sazonal das férias do verão, mais 42 pessoas desempregadas, em comparação com o mês anterior.

 

Dos desempregados 1709 são homens e 2138 são mulheres. Destes 1 956      estão desempregados à menos de um ano e 1 891 estão desempregados à mais de um ano. Estão à procura do primeiro emprego no Distrito da Guarda 558 pessoas e à procura de novo emprego estão 3 289  pessoas.

 

No concelho da Guarda existem atualmente 1062 pessoas sem emprego, uma diminuição de -1,9% face a junho de 2021 (menos 21 pessoas desempregadas).

 

 

De realçar os concelhos de Seia (-8,06%, -47 desempregados), Gouveia (-6,30%, -23 desempregados) e Guarda (-1,97%, -21 desempregados) foram os concelhos onde o desemprego mais diminuiu no último mês nos restantes concelhos do distrito existiu um aumento do número de desempregados.

 

Nos concelhos de Manteigas (+22,61%, +19 desempregados), Aguiar da beira (+17,64%, 24 desempregados), Pinhel (+12,85%, +18 desempregados).

 

E embora as ofertas de emprego recebidas ao longo do mês e as colocações realizadas tenham tido um aumento face ao mês de junho são residuais. De referir, pela positiva os concelhos da Beira Interior criadores de postos de trabalho, como a Covilhã (+143 empregos criados), Guarda (+67 empregos criados), Gouveia (+51 empregos criados) e Seia (+29 empregos criados).

 

 

No fim do mês de julho de 2021, em Portugal, estavam registados, nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, 368 704 indivíduos desempregados, número que representa 66,5% de um total de 554 797 pedidos de emprego.

 

O total de desempregados registados no País foi inferior ao verificado no mesmo mês de 2020 (-38 598; -9,5%) e inferior face ao mês Anterior (-9 168; -2,4%).

 

Contudo face ao período homólogo que registou um aumento de 9,06%, mais de 4215 pessoas sem emprego, indicam os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) refletem apenas uma subida ligeira.

 


 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twiter).