As notícias da Guarda mais perto de Si

Governo quer lançar Prospeção de Lítio no Distrito da Guarda



 

O Governo quer lançar um concurso internacional que incluiu áreas no Distrito da Guarda para prospeção de lítio. Este “procedimento concursal para atribuição de direitos de prospeção e pesquisa” de Lítio será nos concelhos de Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel, Trancoso, Mêda, Fornos de Algodres, Gouveia e Seia. O concelho de Belmonte, Covilhã, Idanha-a-Nova e Castelo Branco também serão objeto deste concurso entre outros.

 

(Leia o artigo até ao fim – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda mais perto de si).

 

O Governo pretende lançar brevemente um concurso internacional para pesquisa do lítio em que as maiores oito áreas são nos distritos de Guarda, Viseu e Castelo Branco.

 

O PPP Lítio prevê a pesquisa em oito áreas abrangendo oito distritos, sendo que Guarda é o distrito mais abrangido neste plano com três áreas, seguindo-se Castelo Branco e Viseu, ambos com duas áreas cada.No distrito da Guarda a área identificada por Massueme, terá 499 km2 de prospeção e ficará situada nos concelhos de Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel, Trancoso e Mêda.

 

O bloco Guarda-Mangualde, Blocos N e S terá 421 km2, dos distritos de Castelo Branco e Guarda, nos concelhos de Belmonte, Covilhã, Fundão e Guarda, respetivamente.

 

No bloco Guarda-Mangualde E, com 497 km2, no distrito da Guarda envolve os concelhos de concelhos de Almeida, Belmonte, Guarda e Sabugal.O bloco Guarda-Mangualde W, com 376 km2, nos distritos de Guarda e Viseu envolve os concelhos de Mangualde, Gouveia, Seia, Penalva do Castelo, Fornos de Algodres e Celorico da Beira).

 

O bloco Guarda-Mangualde NW, com uma área de exploração de 444,9 km2, situada nos distritos de Viseu e Coimbra nos concelhos de Viseu, Satão, Penalva do Castelo, Mangualde, Seia e Nelas e Segura no distrito de Castelo Branco (concelhos de Castelo Branco e Idanha-a-Nova).

 

O Governo pretende lançar um “procedimento concursal para atribuição de direitos de prospeção e pesquisa”, com a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) a sublinhar que este concurso não serve para “concessão de exploração”.O objeto do concurso será a “atribuição de direitos para realização de trabalhos de prospeção e pesquisa, de reduzido impacto sobre o território, que se destinam a adquirir conhecimento sobre os depósitos minerais concretamente existentes no território”, segundo o Jornal Económico.

 

 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twitter)

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twiter).