As notícias da Guarda mais perto de Si

Enfermeiros desmarcam greve convocada para 3 e 4 de novembro

 

O Sindicato dos Enfermeiros (SE) anunciou ontem a desmarcação da greve convocada para 03 e 04 de novembro, na sequência do chumbo do Orçamento do Estado para o próximo ano, mas mantém as suas principais reivindicações.

 

(Leia o artigo até ao fim – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda mais perto de si).

 

Em virtude do chumbo do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) e a previsível remarcação de eleições antecipadas para o início do próximo ano, “esta é uma forma de luta que, neste momento, perde relevância”, afirma o presidente do Sindicato dos Enfermeiros, o enfermeiro Pedro Costa, citado em comunicado.

 

A “tal decisão não desvia o SE um milímetro das suas principais reivindicações: o reconhecimento e valorização dos enfermeiros”, reforça o dirigente sindical.

 

Depois de uma reunião entre todos os sindicatos representativos dos enfermeiros de Portugal, “a maioria das estruturas concordou que deixamos de ter um interlocutor com poder de decisão”, avança Pedro Costa.

 

Acresce que com o chumbo da proposta de OE2022, “é previsível que o primeiro trimestre de 2022 seja governado com recurso a duodécimos”, prossegue, salientando que isso significa que “não pode ser gasto nem mais um cêntimo do que a verba gasta em igual período” deste ano, “o que inviabiliza, até aprovação de novo orçamento, a satisfação das nossas reivindicações”, refere o dirigente sindical.

 

O Presidente do Sindicato dos Enfermeiros teme um período de inverno muito rigoroso e exigente em termos de procura do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que “levem os enfermeiros à exaustão total e acabem por entrar de baixa”, agravando os serviços que “já de si estão deficitários de recursos humanos”.

 

Pedro Costa não compreende como o Governo ainda em funções foi incapaz de resolver todos os problemas já identificados pela classe, “quando até o vice-almirante Gouveia e Melo reconheceu que os enfermeiros foram o pilar do Serviço Nacional de Saúde nos últimos dois anos”.

 

Por isso, “esperemos que haja maior disponibilidade do próximo Executivo”, concluí o sindicalista.

 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twitter)

 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twiter). G-WH913LSLRB 86d4e63d557e44029786b77c5bab0cb3