As notícias da Guarda mais perto de Si

Obra dos Passadiços do Côa avança

 

O Município de Foz Côa lançou a obra dos Passadiços do Côa orçada no montante de 305.150,00€. O início da obra teve início em novembro de 2021, segundo fonte desta autarquia “foi este mês dado o pontapé de saída numa obra que consideramos importante para todo o nosso território e que servirá de complemento ao Museu do Côa”.

 

(Leia o artigo até ao fim – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda mais perto de si).

 

A obra já começou a ser executada. Contudo, houve alterações ao projeto inicial, porque não foi possível chegar ao rio Douro como inicialmente estava previsto. Através de novo projeto, conseguimos uma candidatura [a fundos comunitários] de 445 mil euros, avançando a obra com uma dotação de cerca de 370 mil euros, efetivos”, explicou à Lusa, João Paulo Sousa.

 

Os “Passadiços do Côa” terão um percurso entre o Museu do Côa e a estação ferroviária do Côa (hoje desativada) situada nas proximidades da foz do rio Côa, mas já voltada para o rio Douro, criando assim uma ligação entre o planalto onde se situa o museu e o rio, permitindo disfrutar a magnífica paisagem que envolve a confluência dos dois rios.

 

Atualmente, e de acordo com o presidente da Câmara de Vila Nova de Foz Côa, João Paulo Sousa, “as entidades competentes que gerem a cota do leito do rio Douro e a própria Agência Portuguesa do Ambiente (APA), consideram que, para salvaguardar a referida cota e o leito de cheia, não foi possível chegar mesmo à beira-rio”.

 

“Estas decisões foram impedimentos e vamos criar neste local alternativas, tais como a pavimentação de um troço de estrada que faz a ligação à desativada linha [ferroviária] do Douro [no troço Pocinho e Barca d´Alva] e tornar o espaço ribeirinho apelativo”, referiu o autarca.

 

“Estamos a falar de uma encosta bastante íngreme e trata-se de um trabalho muito difícil de executar. Vamos ver o tempo de duração da obra e esperamos que esteja concluída no início de 2022 se não houver, entretanto, constrangimentos devido à covid-19”, justificando que “é uma obra complexa”.

 

O objetivo dos novos passadiços no Vale do Côa passa por atrair cada vez mais turistas a este território, que é duplamente Património da Humanidade, classificado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

 

 

A obra foi aprovada a 30-08-2019 e tinha como data prevista para início 08-06-2018 e data de conclusão prevista inicialmente a 31-07-2020. O custo total da obra orçada inicialmente em 467.892,47€ com apoio Financeiro da União Europeia, FEDER no montante de  305.150,00€.

 

Os “Passadiços do Côa” terão um percurso entre o Museu do Côa e a estação ferroviária do Côa (hoje desativada) situada nas proximidades da foz do rio Côa, mas já voltada para o rio Douro, criando assim uma ligação entre o planalto onde se situa o museu e o rio, permitindo disfrutar a magnífica paisagem que envolve a confluência dos dois rios.

 

Tendo uma extensão aproximada de novecentos metros e vencendo um desnível de aproximadamente cento e cinquenta metros, o traçado será adequado às curvas de nível do terreno e enquadrar-se-á na paisagem sendo a sua construção em madeira. O local de implantação apresenta uma beleza agreste pontuada pela secular arquitetura rural, num vale de um dos afluentes do Douro em processo de regeneração natural, onde espécies autóctones e protegidas são cada vez mais abundantes.

 

O Município de Vila Nova de Foz Côa e a Fundação Côa Parque procuram “criar novas condições de visita que conjuguem de forma distinta a Arte Rupestre do Vale do Côa e a Paisagem do Douro Vinhateiro, ambas classificadas Património Mundial pela UNESCO”.

 

As metas a atingir são as seguintes: aumento do número de visitantes ao concelho, concretamente ao Vale do Côa, às gravuras rupestres e ao Museu do Côa; criação de novas empresas na área do turismo que promoverão visitas guiadas aos núcleos de Arte Rupestre e ao património natural na foz do rio Côa.

 

 

 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twitter)

 

 

 

(Fim do artigo – www.guardanoticias.pt – As notícias da Guarda no Facebook e Twiter). G-WH913LSLRB 86d4e63d557e44029786b77c5bab0cb3